Receba por email

Assine nossa newsletter e receba em primeira mão as novidades do blog.

28 de Maio de 2018

O que são Lovemarks?

Sabe aquelas marcas queridinhas dos consumidores? Então, elas são as chamadas lovemarks.

Quer saber como a sua marca pode atingir esse patamar? Confira no artigo que escrevemos!

Use emoção

Estamos em 2018 e o mundo está em constante mudança, sendo que as grandes empresas descobriram que atingir o lado emocional de seus clientes, tocando o coração e oferecendo não somente um serviço ou produto, mas sim um vínculo de afeto, é uma estratégia que gera extraordinários resultados.

Tratar os clientes da sua empresa como seres humanos e não apenas como público consumidor, tem sido a aposta de inúmeras grandes marcas.

Porém, para tornar a sua empresa uma lovemark não é uma tarefa fácil, pois a briga atualmente é muito grande.

Companhias que estão a muito tempo atuando no mercado tendem a ganhar a confiança do consumidor e assim também seu coração. 

Mas não é só isso, Kevin Roberts, CEO da Saatchi e Saatchi e autor do livro Lovemarks – O Futuro Além das Marcas, diz que o respeito pela marca está diretamente ligado ao amor, e é nisso que o conceito de lovemarks está baseado.

Nessa mesma vertente, o respeito, tão importante para as relações de afeto com as marcas, está diretamente ligado a manutenção da relação com o consumidor a cada contato, ou seja, não basta oferecer um serviço ou produto de qualidade, é preciso criar uma relação com o cliente no pré-venda e também no pós-venda.

Sendo que, se essa relação falhar e o descontentamento vir a acontecer, o consumidor tende a se afastar e procurar uma nova empresa com qual se identifica mais.

Dentre os ensinamentos de Kevin Roberts, estão:

Olhe para o seu consumidor e descubra o que ele deseja” e “Os seus concorrentes estão pensando com a cabeça. Siga a intuição. Pense com o coração”.

Ser uma lovemark não é tarefa fácil

Não existe uma receita de bolo para tornar sua empresa uma lovemark

Tome como exemplo dois gigantes da tecnologia, a Apple e a Microsoft. Ambos usam estratégias de apelo emocional em suas campanhas publicitárias, não é mesmo? Mas você só vê o logo da Apple colada atrás de carros no trânsito.

A Apple é um dos maiores exemplos de lovemark que temos na atualidade. É uma empresa que desde sempre investiu muito no relacionamento com o consumidor, tratou seus clientes com individualidade, tocou seus corações, e desenvolveu seus produtos pensando em tornar a vida das pessoas mais funcional.

Outro grande exemplo de lovemark de sucesso é a fabricante de motocicletas, Harley-Davidson, que diferente de seus concorrentes, não vende apenas motocicletas.

A Harley vende um sonho, vende liberdade, estilo de vida, vento no rosto. Com esse discurso, ela toca diretamente o coração dos apaixonados pelo mundo das duas rodas e direciona incontáveis esforços para o pós-venda.

Mas como se isso tudo não fosse o suficiente, a própria Harley-Davidson foi responsável por criar um grupo de proprietários de motocicletas da marca em que os mesmos pagam uma mensalidade e assim participam de eventos, passeios, palestras e ganham acesso a conteúdos, produtos e lançamentos exclusivos.

Isso é atenção de verdade ao relacionamento com o cliente, e é por isso que a Harley é uma das maiores lovemarks da atualidade.

Tanto a Apple quanto a Harley, tem a lealdade de seus clientes, ou seja, mesmo que não tenham os melhores produtos do mercado, seu público jamais deixará de comprá-los, mesmo sabendo que existem produtos de mesma qualidade, melhores e às vezes por menos da metade do preço disponíveis.

O produto em si, não é o mais importante, e sim a experiência de ter um celular da Apple ou uma moto da Harley-Davidson, por exemplo.

Como conseguir ser uma lovemark?

Nesse momento você já deve estar pensando que conseguir o status de lovemark para sua empresa é algo muito distante e que está restrito aos gigantes globais. Mas você engana-se, pois o tamanho de seu negócio não impede você de torná-lo uma marca amada pelas pessoas, mesmo que a nível regional.

Uma marca que tem personalidade, atributos, coração, corpo, alma, voz e emoção já está em um bom caminho para se tornar uma lovemark.

Conseguir a fidelidade de seus clientes é um passo muito importante, e para isso você deve manter um relacionamento baseado em transparência, qualidade e dedicação, sem esquecer do mais importante: tratar o seu cliente com respeito.

É necessário ter relevância, consistência e direção dentro do seu mercado. Quando o cliente compra o produto, o seu relacionamento com ele deve estar só começando e não ao contrário.

Construir uma lovemark já não se trata de gastar fortunas em campanhas publicitárias, é preciso criar um laço afetivo com o seu consumidor, ter um design arrojado, e ter uma comunicação personalizada que combine com o estilo de vida das pessoas que compram seus produtos.

Um excelente exemplo de ação que gerou grande resultado a uma lovemark é o da Ruffles.

Uma menina chamada Julianna enviou um desenho à marca de salgadinhos e em troca pediu um tubo de Ruffles sabor costelinha, que era uma edição limitada e não estava mais disponível para venda.

A agência digital da Ruffles recriou os desenhos enviados pela menina e enviou um kit da batata no sabor solicitado. Apesar de o sabor nunca ter voltado de fato a produção, a garota que fez o pedido e todos que ouviram falar da pequena ação sempre irão se lembrar da Ruffles de uma forma muito positiva.

O raciocínio emocional dos clientes pode ajudar e muito sua empresa a tornar-se uma lovemark, e depois que esse status é atingido, o sucesso será a sua única conseqüência.

Lembrando que, penas as lovemarks são capazes de formar filas quilométricas em frente as suas lojas na data do lançamento de um novo produto, ou comover a todos com um comercial de TV. Essa é uma forma extremamente eficaz de se diferenciar e atropelar a concorrência.

Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida? Tem alguma sugestão? Deixe nos comentários, vou adorar poder conversar com você!

Lucas Vicentini

Designer

[email protected]

O que são Lovemarks?
5 (100%) 12 votes

Autor

Lucas Vicentini

Compartilhe

Facebook Twitter linkedin