Ir para o Topo

Arpina Digital

A importância das métricas de marketing para o seu negócio

Como você faz para saber que todos os seus esforços e investimentos de marketing estão dando certo? Como saber o quê e quanto está realmente sendo direcionado para os lugares certos e quanto do seu investimento está sendo perdido (sim, pode acontecer)? Como saber onde fortalecer e onde ajustar para garantir que a sua estratégia dê certo e traga os resultados esperados e até mais que o esperado?

Essas perguntas devem ecoar na mente dos profissionais de marketing todos os dias, afinal, verba desperdiçada é cliente perdido e a sua marca menos lembrada!

É exatamente para evitar que isso aconteça que hoje nós vamos falar sobre a fundamental importância de se acompanhar de perto as métricas trazidas por cada ferramenta de marketing que você utiliza na gestão dos seus negócios, garantindo que você esteja falando com as pessoas certas na linguagem certa, e se você ainda não coloca isso em prática, chegou a hora.

Então sem mais delongas, vamos entender um pouquinho de como extrair dados reais das suas ações de marketing?

Primeiro, você precisa descobrir de onde as pessoas estão vindo:

Algumas ferramentas geralmente associadas ao seu site ou avaliadores de redes sociais, tanto gratuitas quanto pagas, conseguem identificar através de mapeamento de rede, de onde os seus visitantes estão chegando até você, como de anúncios pagos, buscas orgânicas e plataformas como o Google ou até mesmo através do link direto do seu site.

Ah, e ainda tem como descobrir quantos desses visitantes estão chegando pela primeira vez ou voltando à sua página, quanto tempo eles ficaram por aqui e o que fizeram durante a estadia na sua loja online, te ajudando a entender falhas na navegação ou desistências causadas pelo preço do frete.

Existem ainda 3 diferentes tipos de métricas, e eles são:

  1. Métricas de atração: resumidamente, esse tipo de métricas se dispõe a estudar a maneira como as pessoas chegam até o seu canal de vendas, englobando variáveis como a quantidade de visitas que você vem recebendo, quantas dessas pessoas estão chegando até você pela primeira vez e onde esse processo está se originando, te ajudando, por exemplo, a otimizar seus anúncios patrocinados.
  2. Métricas de conversão: nessa etapa, você estuda o motivo de as pessoas que chegaram até o seu canal de vendas terem clicado em comprar ou saíram de sua página. Aqui, avalia-se questões como etapas do funil de vendas e coleta e tratamento de leads.
  3. Métricas de receita: através dessas métricas você avalia o quanto criar novos clientes ou manter os já conquistados tem custado financeiramente para você, englobando operações como o ROI (Retorno Sobre Investimento) ou o CAC (Custo por Aquisição do Cliente).

Além de tudo isso, é crucial para o bom uso e escolha das suas métricas que você siga alguns passos como:

1 – Definir quais os seus objetivos de marketing: antes de colher as suas métricas e tratá-las a seu favor, é importantíssimo definir quais as suas metas de marketing e quais as estratégias que você vai utilizar para atingi-las, até porque, se não fizer isso você vai acabar coletando muitos dados que apesar de importantes, podem não ser tão relevantes para atingir o seu objetivo, até mesmo te desviando do foco.

⚠ Atenção: se você tem muitas metas, uma boa dica é buscar atingir uma ou duas por vez.

2 – Definir quais canais você realmente precisa estar presente ou não: para evitar ainda uma “distração” no seu foco de marketing e para facilitar a sua captação de dados relevantes, é essencial definir antecipadamente em quais canais a sua marca estará presente.

Caso você ainda assim deseje estar em diversos canais ao mesmo tempo, demande um tempo para analisar quais os seus canais primários e secundários, assim, você recebe e analisa apenas as informações ligadas aos que realmente importam.

3 – Definir quais aplicativos e configurações vão te auxiliar na obtenção dessas métricas: após você ter definido quais as suas principais metas e quais os seus canais principais de comunicação, você já consegue ter uma base mais sólida para buscar as ferramentas externas ou internas que te auxiliarão na obtenção e tratamento dos dados que farão diferença para o sucesso da sua marca.

Muitas plataformas oferecem opções a parte, que você pode unir às configurações do seu site para uma observação ainda maior de como os visitantes se comportam, por exemplo. Já aplicativos de redes sociais como o Instagram oferecem dentro do próprio canal informações como quantas pessoas clicaram ou ignoraram a sua postagem, te ajudando a nortear sua identidade de marca ou linguagem.

4 – Estipular prazos para colocar o conhecimento que você obteve com esses dados em prática: ainda falando em planejamento, passo fundamental para o sucesso das suas metas, é importante definir em que momento você vai colocar o que você aprendeu com a análise dos seus dados em prática.

Por exemplo, você não deve remodelar toda a sua forma de comunicar com base em 3 dias de dados coletados do seu Instagram, afinal, o comportamento do público costuma variar momentaneamente. Dê tempo às suas ferramentas para garantir que você tem segurança nos seus próximos passos.

5 – Garantir o máximo de agilidade na hora de implementar as otimizações: apesar de dar tempo às suas ferramentas na hora de coletar e tratar os dados mais relevantes para as suas ações de marketing, é essencial se atentar aos sinais apresentados pela recepção daquelas já implementadas, como um curto período de permanência nas páginas ou um aumento no número de unfollows ou descurtidas por seus seguidores nas redes sociais.

E então, notou como é essencial enfrentar o medo dos números para evitar que você invista em ações que não te tragam retorno e não invista em ações que trariam? Agora é só começar a acompanhar o retorno que cada canal te traz e otimizar para levar os seus resultados lá em cima!

Confira mais dicas aqui no Blog da Arpina!